Supermercados precisam se preparar neste momento de disrupção

Todos os setores do comércio, de alguma forma, sofreram impactos com a pandemia do coronavírus. No caso dos supermercados, a possibilidade da falta de abastecimento e, ao mesmo tempo, a necessidade de repensar o funcionamento das lojas para conter a propagação do vírus e o contágio, foram questões enfrentadas com a urgência necessária ao momento.

Porém, tais dificuldades e mudanças também podem significar novas oportunidades, ou novos tempos para o comércio varejista.

Com uma crise sanitária em curso, recessão econômica iminente e mudanças de hábitos em processo, a inovação é fundamental para qualquer supermercado que pretende, além de sobreviver à fase mais aguda da pandemia, ter uma expansão no futuro. Para isso, é preciso ter em vista alguns ensinamentos que esse período tem mostrado para o setor.

Supermercados mais fortes

Em primeiro lugar, os supermercados vão sair da pandemia mais fortes do que entraram, do ponto de vista da compreensão geral da sua relevância para a sociedade. A população está mais ciente hoje da grande importância que essas lojas têm para o cotidiano, seja nos períodos mais estáveis, seja nos momentos de maior dificuldade. Não é à toa que os supermercados estão entre os serviços essenciais.

Capacitação de Profissionais e Digitalização

Outro aspecto que merece destaque é a demanda por opções de compras mais ágeis, seguras e prazerosas. O PROCON de diversas capitais brasileiras registrou um aumento das reclamações dos consumidores nos últimos meses sobre compras online atrasadas ou com erro na entrega dos produtos. Isso, em parte, deve-se à falta de capacitação dos profissionais na terceirização da compra e da entrega das mercadorias.

"Empresas precisam achar uma forma de serem ágeis, se adaptarem, responderem e continuarem a servir os seus clientes com alto padrão", ex-Whole Foods co-CEO Walter Robb falou na CNBC's "Squawk on the Street."

A digitalização dos serviços, portanto, pressupõe um treinamento adequado. Também é indispensável oferecer uma estrutura que consiga lidar com o tamanho da demanda, evitando as falhas e, consequentemente, a redução das vendas a longo prazo.

A inovação nos serviços de compra em supermercados deve ser feita com cuidado, profissionalismo e o suporte adequado de quem entende do setor, sabe quais são os seus desafios, as ameaças e oportunidades. Afinal, o desenvolvimento e implementação de tecnologias com modelos de compra na loja, híbridos (presenciais e digitais) e/ou apenas digitais, exigem planejamento e treinamento para garantir qualidade em todos os formatos.

Ainda segundo o co-CEO Walter Robb, da companhia agora pertencente a Amazon, os clientes ainda estão um pouco desconfortáveis com as novas mudanças no setor Supermercadista, pois ainda as enxergam como meras adaptações. Que tal implantar uma solução tecnológica sólida nas suas lojas e acabar com o desconforto do seu cliente de vez?

9 visualizações0 comentário